• sabrinacorrea1

Como está o balanço de massa e energia das suas escolhas?

Na segunda semana do Despertar da Consciência Ecológica, aprofundamos em mais uma característica dos ecossistemas: os processos metabólicos, o famoso balanço de massa e energia, que acontecem dentro de uma determinada fronteira.



Imagem: Shutterstock.com

Por exemplo, a membrana de uma célula é a fronteira de um organismo celular, e ela define e regula quais e quantos componentes entram na célula, de acordo com sua identidade. Dentro deste sistema, acontecem fluxos constantes de matéria e energia por meio de uma rede de reações químicas que permite a célula gerar, reparar e se perpetuar continuamente.


Vamos aumentar o nível do ecossistema, nosso corpo. Através de uma membrana, uma fronteira, digamos que, nossa mente, definimos o que vamos comer. O metabolismo do corpo, que é uma rede de reações químicas, processa matéria e energia, absorvendo nutrientes e gerando resíduos (coco, xixi, suor, entre outros) e assim, continuamos nos desenvolvendo.


Vamos aumentar mais um pouco o nível do ecossistema, nossa casa. Existe uma fronteira, onde é definido o que entra, o que será consumido de matérias e energias. Existem processos dentro da casa, como a preparação de alimentos, uma limpeza de pele, uma brincadeira, onde são gerados resíduos e transformações de energia.


Vamos aumentar mais um pouco o nível do ecossistema, uma fábrica de embalagem. Existe uma fronteira, onde é definido o que entra de matéria e energia para processar, gerando produtos e resíduos.


E assim, ampliamos os ecossistemas em cidade, país, biomas, até chegarmos no planeta Terra.


Se o meio ambiente externo é um reflexo do meio ambiente interno, cada processo metabólico reflete no todo maior.

E voltamos para a essência da qualidade… Qual é o nível de qualidade dos processos metabólicos nos ecossistemas que você se integra?


Qual é a característica da fronteira que define o que entra para dentro do organismo?


Com isso, chegamos em um ponto chave para o Despertar da Consciência Ecológica, muito mencionado nas conversas desta semana: Questionar nossas escolhas.


Questionar o quê, como e por quê você se nutre hoje?

E não somente em questão de matéria, que é o alimento, mas também em nível de energia, por exemplo: Como você nutre suas emoções? Que tipo de informação você consome na sua rotina?


Tudo é uma questão de escolha.

Claro, para quem tem o privilégio de escolher.


Você se sente livre para escolher?

Quem está escolhendo o alimento que você se nutre, você ou veio de influência externa?

Não se sinta mal se perceber que muitas das escolhas vieram de influências externas sem questionamentos.


A partir da consciência de que cada escolha é uma entrada para os processos metabólicos que transformam, absorvem e devolvem matéria e energia para o meio ambiente, e que, isso gera um impacto positivo ou negativo, para si mesmo (a) e para o ambiente externo, você se torna responsável pelas consequências que acontecem com você e com o ambiente. E, os impactos no meio ambiente geram consequências, que através dos mesmos processos metabólicos e ciclos naturais, podem voltar para o indivíduo.


Nossos resíduos gerados, não são lixo, como pensamos, que não serve para nada e não serão aproveitados. Eles são alimentos para a continuidade de processos metabólicos em níveis maiores de outros ecossistemas.


Não existe lixo (desperdício) na natureza. Se você observar as folhas que caem da árvore não são lixo, elas continuam seu processo cíclico, se tornando alimento para as bactérias decompositoras no solo, que através de seu metabolismo, disponibilizam nutrientes no solo para que as raízes da mesma árvore absorvam.


Compreender essa relação de entradas e saídas é um grande passo para o despertar da consciência ecológica e a partir daí, iniciar os questionamentos conforme o que faz sentido para você!

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo