top of page
  • sabrinacorrea1

Tem como a preferência pela pizza ser ainda maior? Tem sim, com produção consciente!

O dia 10 de julho é o dia Mundial da pizza. Podemos estar atrasados nesta celebração, o que não podemos deixar passar de te contar é sobre a pizza produzida com compromisso pela qualidade e meio ambiente – hummmm, só de mencionar a palavra pizza posso sentir a boca salivando. Você também? Aliás, você conhece alguém que não goste de pizza?


Fonte: Forneria Oliva

Não é à toa que o Brasil é o segundo país que mais consome pizza no mundo, 1 milhão por dia segundo a Associação de Pizzarias Unidas do Brasil (2022).


E para um mercado que cresceu quase 499% nos últimos 10 anos, os diferenciais de competitividade contam no momento de escolha do consumidor.

Matéria-prima de qualidade, sabores, textura da massa, preço, tempo de entrega ou de preparo são critérios padrões relevantes para a escolha do produto.

Há quem prefere a pizza abrasileirada, outros a típica Italiana. Não importa. No quesito pizzas estamos bem servidos e na hora da vontade é até difícil decidir qual.


O cenário da dúvida muda quando o consumidor procura atender outras necessidades específicas, como questões nutricionais do produto e até mesmo como o estabelecimento lida com os critérios de sustentabilidade em sua operação.


Clientes querem produtos sustentáveis de empresas sustentáveis (Nielsen, 2019).

Se você também busca incentivar o consumo de marcas que entregam qualidade e se importam com a sustentabilidade, viemos te contar como foi nossa relação com a Forneria Oliva, que nos procurou para plantar a consciência de sustentabilidade em sua operação.


A Forneria Oliva nasceu em Bombinhas SC servindo pizzas artesanais com características conservadas da pizza típica Italiana. Em 2020 ela inovou e se desafiou para levar a praticidade da pizza congelada para casa do consumidor com a mesma qualidade sem perder a essência da original.

Você pode imaginar o ponto crítico de sustentabilidade na operação de uma fábrica com capacidade produtiva de quase 3 mil pizzas por dia?

A geração de resíduos sólidos. Acompanhe o post até o final para você aplicar as boas práticas de sustentabilidade no seu ecossistema também.


Diego, um dos sócios fundadores, incomodado com a mistura de resíduos na operação nos procurou para desenvolver a cultura interna e orientar quanto ao encaminhamento dos resíduos para o máximo de reaproveitamento.

Aqui já começa um dos diferenciais de marcas que buscam a real sustentabilidade, ação da liderança coerente com os valores socioambientais.


O que muitos empresários e líderes gestores desconhecem é que a gestão de resíduos é um requisito legal ambiental que apresenta um risco para o negócio.


Segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) instituída pela Lei 12.305 de 2010 e Decreto 10.936 de 2022 que traz novas regulamentações, as pequenas empresas que geram acima de 200 litros de resíduos sólidos por dia, ainda que sejam os similares aos urbanos e domésticos gerados na nossa casa, estão sujeitas a elaborar o plano de gerenciamento de resíduos sólidos de seu empreendimento, se responsabilizando pela destinação ambientalmente correta.
Uma marca que assume o compromisso com atendimento dos requisitos legais ou que busca alguma certificação específica como a Lixo Zero, precisa estar ciente desta condicionante.
Além disso, ela está se preparando para a melhor gestão econômica no futuro, principalmente as empresas do setor de alimentos, porque para atender as metas de gestão de resíduos sólidos urbanos, os municípios precisarão implantar a separação em três tipos de resíduos: resíduos secos (embalagens recicláveis), orgânicos e rejeitos, que são conceituados como aqueles que não possuem tratamento e recuperação por processos tecnológicos disponíveis, economicamente viáveis, e que não apresentem outra possibilidade que não a disposição final em aterros sanitários.
Com isso, há a tendência da liberação de alvará de prefeituras ser condicionada à apresentação do plano de gestão de resíduos, acarretando novos custos operacionais. É o que já acontece hoje na cidade de São Paulo.

E esta foi a premissa de partida da jornada na Forneria Oliva, definir critérios de acordo com a orientação da PNRS:

  • Separar internamente em três tipos: resíduos secos, orgânicos e rejeitos;

  • Priorizar a participação de cooperativas ou de catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis constituídas por pessoas físicas de baixa renda;

  • Priorizar a destinação para o máximo de reaproveitamento e reciclagem.


Segundo passo importante é fornecer a infraestrutura de coletores conforme os resíduos gerados por etapa do processo e identificá-los, se possível com cores diferentes para que a comunicação visual reforce a memorização de novo hábito de separação por tipos.

Fonte: Autor 2023

Além da infraestrutura, o que não pode faltar em qualquer novo hábito introduzido na cultura organizacional é treinamento e conscientização constantes.

Aqui está um dos diferenciais da Mutação Sustentável, a abordagem e o cuidado que temos de compreenderem todas as relações e aspectos ambientais, sociais e econômicos que envolvem na gestão de resíduos, comunicando a importância da corresponsabilidade trazendo exemplos reais da rotina interna do colaboradores e até mesmo doméstica, para levem e apliquem o aprendizado como cidadão também.


Fonte: Autor 2023

Em seguida é acompanhar o processo, fazer ajustes necessários, ouvir as dúvidas e dificuldade dos colaboradores para que participem dessa transformação.


Fonte: Autor 2023

Atingimos resultados significativos na Forneria Oliva em pouco tempo, como a aceitação da inserção de um novo processo: retirar o excesso de produto das embalagens para encaminhar de forma valorizada para quem faz o serviço de coleta e triagem, reduzindo riscos de contaminação para o catador.

Fonte: Autor 2023

Quarta etapa importante da gestão de resíduos é mensurar, fazer análise quanti e qualitativa dos resíduos gerados. Afinal,


“Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, e não há sucesso no que não se gerencia.”
William Edwards Deming – referencia em gestão de qualidade e padronização

É com os dados materiais que será possível enxergar a melhor solução para a destinação dos resíduos ou até mesmo uma estratégia de gerenciar riscos e oportunidades. Como por exemplo, no caso da Forneria Oliva, no final identificamos que 87% dos resíduos estão sendo encaminhados para reaproveitamento e reciclagem, o que é muito expressivo e positivo para a sustentabilidade e muito próximo de atender os critérios da certificação mais reconhecida para gestão de resíduos, o Lixo Zero.

Fonte: Autor 2023

O Lixo Zero certifica as empresas que assumem comprometimento com a economia circular, garantindo que pelo menos 90% dos seus resíduos gerados sejam encaminhados para reaproveitamento e reciclagem, aumentando a sua visibilidade e reputação de marca diante dos consumidores e outros stakeholders. Além de contribuir, é claro, com o desenvolvimento sustentável e preservação do meio ambiente.


Já vimos que implantar cultura de e gestão de resíduos é um investimento em cultura de sustentabilidade, prevenção de riscos e oportunidades para se destacar em competitividade com melhoria de imagem. Os benefícios não param por aí, no retorno de longo prazo, ainda existe oportunidade de colher resultados econômicos em curto prazo, como redução de desperdícios.


Dentro das nossas entregas transformamos as informações levantadas em dados que materializam o que não é visto. Por exemplo, o departamento crítico em geração de perdas e o quanto as perdas representam por produto acabado, e por aí vai. Com isso é possível desenvolver soluções mais efetivas!


Fonte: Autor 2023

Segundo Charles Duhigg em seu best seller O poder do Hábito (2012), apresenta pesquisas sobre hábitos nas organizações que apontam para a importância de se criar rotinas em grupo para que novos hábitos individuais sejam desenvolvidos. Além de existir certos hábitos com prioridades focais que são capazes de desencadear transformações em todo o ambiente.

Foi o que fizemos na Forneria Oliva, a partir da consciência ambiental, relacionamos a importância de seguir a rotina, de ter padrões de organização e atenção para o desperdício de alimentos, sua principal matéria-prima.


E por último, e não é o fim, só o começo - a manutenção do processo. Treinamentos constantes, inspeções, plano de ação para desvios para que a cultura de sustentabilidade seja mantida e marca de todo o seu ecossistema.



Fonte: Autor 2023




Viu só como a pizza pode melhorar ainda mais?

O mesmo acontece com a relação do seu negócio com a sustentabilidade - consciente e cada vez mais desejado por todo mundo!


Tem interesse em saber mais sobre nossas soluções para Sustentabilidade da marca ou negócio? É só chamar no botão abaixo.


 

Gestão de Resíduos com valor - Processo Mutação Sustentável realizado entre fevereiro e maio de 2023.

Dedicamos méritos do resultado ao engajamento da direção e liderança da Forneria Oliva que executaram com excelência e presteza nossa orientação. Sustentabilidade se constrói juntos!




38 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page